Respostas a algumas perguntas frequentes sobre este Programa de Doutoramento

  • 1

    Qual a diferença entre um «Programa de doutoramento» e uma «Área de doutoramento»?

    Um programa de doutoramento tem uma parte curricular para desenvolvimento de competências associadas à realização de um doutoramento e outra de desenvolvimento da dissertação. Uma área de doutoramento apenas contempla o tempo associado à elaboração de uma dissertação de doutoramento acompanhado pelo orientador escolhido. O grau que ambos conferem é o mesmo e corresponde ao grau de doutor.

  • 2

    Quais os fenómenos considerados de interesse para a área de tecnologias e sistemas de informação?

    A área de tecnologias e sistemas de informação combina um interesse nas tecnologias da informação (incluindo a sua construção com vista ao seu aproveitamento para benefício das organizações e da sociedade) e nas actividades humanas em que essas tecnologias são usadas. O corpo de conhecimento científico e técnico relacionado com a adopção e utilização das tecnologias da informação, nas organizações e na sociedade, compreende:

    • Modelos, teorias e quadros conceptuais sobre fenómenos humanos e sociais que envolvem acesso e disponibilização de informação, em particular quando são utilizadas tecnologias da informação.
    • Modelos, teorias e quadros conceptuais que enquadrem o uso da informação e das tecnologias da informação nas organizações ou na sociedade.
    • Tecnologias da informação e suas aplicações.
    • Métodos, técnicas e ferramentas dirigidos à condução de actividades de intervenção organizacional ou societal que visam a adopção e a boa utilização de tecnologias da informação, disponibilização de aplicações de tais tecnologias, criação e gestão de serviços de informação em contexto organizacional ou societal e gestão da utilização da informação e das tecnologias da informação em contexto organizacional ou societal.

  • 3

    Que fases integram o Programa de Doutoramento em TSI?

    O Programa de Doutoramento contempla 4 fases que compreendem a admissão, a preparação, a execução do projecto e escrita da dissertação e a discussão da dissertação:

    • Fase 1 - Admissão - Fase anterior ao início do programa e que consiste na apresentação do pedido de admissão. Envio dos elementos para formalização da candidatura que permitirá avaliar o cumprimento dos requisitos de admissão exigidos e a capacidade para a habilitação ao grau de doutor. Nesta fase, não é necessária a apresentação de plano de trabalhos nem a indicação de um orientador. Reunidos os requisitos, será elaborado um plano de estudos individual que enumera as unidades curriculares que o candidato deverá realizar durante o curso. Será indicado um docente doutorado como responsável de estudos do candidato. O pedido de admissão, o plano de estudos individual e o responsável de estudos, carecem de aprovação da Comissão Científica do Departamento de Sistemas de Informação e, posteriormente, do Conselho Científica da Escola de Engenharia.
    • Fase 2 - Preparação – Esta fase visa proporcionar ao candidato oportunidades de formação em várias vertentes e desenvolvimento de competências que constituem o perfil de um Doutor. Incluirá unidades curriculares que integrem unidades de trabalho de diversos tipos e também diversos momentos de avaliação daquelas competências. Durante esta fase será indigitado o orientador (ou orientadores) do candidato, tendo em consideração a área de trabalho do candidato, as suas preferências relativamente ao orientador e a aceitação deste. Enquanto não for apontado um orientador, o estudante será acompanhado pelo responsável de estudos mencionado na fase 1. Esta fase culmina com a apresentação e defesa de uma proposta de doutoramento onde é apresentado, de forma detalhada e justificada, um plano de trabalhos para o projecto de I&D a conduzir. Tem a duração de cerca de 12 meses (em regime de tempo integral). A passagem desta fase para a seguinte depende dos resultados obtidos nas várias unidades de trabalho.
    • Fase 3 - Execução do projecto de I&D e escrita da dissertação – Esta fase corresponde à execução do plano de trabalhos produzido na fase anterior. Para além do envolvimento do candidato nesses procedimentos, espera-se também que o candidato participe noutras actividades destinadas aos estudantes de doutoramento (por exemplo, o seminário semanal do departamento) e que participe em eventos técnico-científicos onde apresente e defenda o seu trabalho de pesquisa. Será de considerar a possibilidade (e até de encorajar) que algum deste trabalho seja conduzido noutra instituição, especialmente em instituição de I&D no estrangeiro. Esta fase deverá ter uma duração de cerca de 24 meses. A escrita da dissertação é uma actividade onde são gastos vários meses, podendo ser iniciada durante a fase de preparação mas que só pode ser terminada após a conclusão dos trabalhos de I&D. Esta fase termina com a entrega de uma dissertação de doutoramento, a ser apreciada e discutida por um júri. Tendo em linha de conta a natureza internacional do conhecimento científico e a predominância da língua inglesa nestes contextos, é encorajada a escrita da dissertação em língua inglesa por forma a aumentar o seu impacto.
    • Fase 4 - Discussão da dissertação – O programa de doutoramento culmina com a discussão da dissertação. Esta engloba engloba dois momentos: a avaliação prévia onde o júri se pronuncia sobre a aceitação da tese (podendo sugerir a sua reformulação) e a discussão propriamente dita. Considerando o tempo necessário para os examinadores lerem a dissertação e prepararem as suas arguições, os tempos necessários à realização dos passos previstos na regulamentação em vigor e ainda a possibilidade de a dissertação ser sujeita a reformulação, a fase de discussão da dissertação pode demorar vários meses.

  • 4

    É possível frequentar a parte curricular do doutoramento em regime de trabalhador-estudante?

    Dado que a parte curricular está organizada de forma a concentrar-se em 2 ou 3 blocos (manhã ou tarde) num ou dois dias por semana, e desde que a organização a que pertença o permita, será possível frequentá-la em regime de trabalhador-estudante. Alerta-se no entanto para a possibilidade de virem a existir cursos em regime intensivo com a duração de 1 ou 2 semanas.

  • 5

    Posso frequentar o programa de doutoramento em regime de dedicação parcial?

    Apesar de alguns dos nossos doutorandos frequentarem ou já terem frequentado em regime de dedicação parcial, dadas as exigências envolvidas no desenvolvimento do programa de doutoramento e, em especial, da fase de desenvolvimento da investigação e escrita da dissertação de doutoramento, aconselhamos os nosso alunos a frequentarem o programa em regime de dedicação exclusiva.

  • 6

    A minha formação de 1º e 2º ciclo não é em sistemas de informação. Posso candidatar-me?

    Para além dos titulares do grau de mestre (2º ciclo) nas áreas de conhecimento de tecnologias e sistemas de informação e dos titulares de grau de licenciado (1º ciclo) em áreas de conhecimento de tecnologias e sistemas de informação, detentores de um currículo especialmente relevante, também se podem candidatar indivíduos cuja área de conhecimento de 1º e 2º ciclo seja de informática, ciências da informação, engenharia, ciências económicas ou empresariais e em áreas das ciências humanas e sociais a quem seja reconhecida capacidade para a realização deste ciclo de estudos .

  • 7

    A quem pode interessar o Programa Doutoral em TSI?

    Consideram-se como potenciais candidatos ao PDTSI:

    • Docentes do ensino superior das carreiras de docência do Ensino Superior Universitário ou do Ensino Superior Politécnico para quem a obtenção do grau de Doutor é considerada nos respectivos estatutos de carreira.
    • Recém-graduados (mestrado) interessados em iniciar uma carreira de investigação, eventualmente tendo em vista uma futura integração em carreira académica mas sem vínculo a qualquer instituição de ensino superior ou de investigação e desenvolvimento. A existência de condições necessárias ao seu envolvimento nos trabalhos de doutoramento poderá depender da obtenção de uma bolsa de iniciação à investigação ou à sua contratação como “assistentes de investigação” no âmbito de projectos de I&D em curso.
    • Profissionais da área das tecnologias e dos sistemas de informação ou áreas afins, enquadrados em empresas ou outras instituições (nomeadamente em instituições da administração pública), que desempenham funções enquadradas ou enquadráveis em actividades de I&D que visam o desenvolvimento de novos produtos, a identificação de novas oportunidades de negócio, a melhoria do desempenho organizacional ou a validação de novas práticas organizacionais. Sendo as empresas e instituições beneficiárias dos resultados destes trabalhos, será expectável que sejam elas a garantir as condições necessárias à realização do trabalho de doutoramento (quer no que se refere a tempo de dedicação quer a alguns dos meios à sua execução). É expectável que o projecto de doutoramento tenha restrições à divulgação dos resultados e à sua propriedade intelectual.
    • Profissionais da área das tecnologias e dos sistemas de informação ou áreas afins, enquadrados em empresas ou outras instituições (nomeadamente em instituições da administração pública) que, uma vez ultrapassada a fase inicial das suas carreiras, pretendem enquadrar num projecto de doutoramento as reflexões e contributos que a sua experiência profissional lhes permite realizar. As condições necessárias ao seu envolvimento nos trabalhos de doutoramento dependem normalmente dos próprios candidatos. A estes diferentes perfis de candidato à obtenção do grau de Doutor correspondem diferentes necessidades de formação inicial e diferentes modos de acompanhamento e supervisão. O PDTSI possui a flexibilidade necessária para acomodar esta diversidade.

  • 8

    Onde posso encontrar exemplos de trabalhos desenvolvidos neste Programa?

    Consultando o RepositoriUM onde se encontram os trabalhos de doutoramento desenvolvidos nesta área e noutras áreas em que possa ter interesse.

  • 9

    Existe alguma forma de arranjar financiamento para frequentar o Programa?

    Uma das formas de financiamento reveste a forma de bolsa. A nível nacional e a título de exemplo, existem vários tipos de bolsas atribuídas pela FCT. Outras formas de financiamento podem passar por acordos e protocolos existentes entre a entidade empregadora dos candidatos e a Universidade do Minho, financiamentos parciais para actividades que decorram do desenvolvimento dos trabalhos (obtenção de fundos necessários à realização de deslocações a conferências e colóquios doutorais, visitas a outras instituições, etc.) ou até o recurso a empréstimo bancário com condições especiais à realização de doutoramento (incluindo parte curricular).

  • 10

    Como devo proceder para me candidatar?

    Para indicações sobre a como proceder à candidatura, consulte a seguinte Página.

  • 11

    Quais os critérios de selecção que utilizam?

    A selecção dos candidatos à matrícula no Programa de Doutoramento em Tecnologias e Sistemas de Informação terá em consideração os seguintes critérios:

    • Classificação da licenciatura e/ou mestrado.
    • Curriculum académico, científico e técnico.
    • Experiência profissional.
    • Teor das cartas de recomendação.
    • Resultado das entrevistas realizadas aos candidatos (quando considerado apropriado).